Prefeitura do Recife faz plantio no Canal do Ibiporã

Mudas - Árvores - Pau Brasil - plantio -

Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR

Mais de 200 mudas de árvores começam a ser plantadas, nesta quarta-feira (08), no Canal do Ibiporã, na Ilha Joana Bezerra. A ação – realizada pela Prefeitura do Recife, através da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade e a Empresa de Urbanização do Recife (URB) – visa ampliar a cobertura verde da área, proporcionando beleza paisagística e a criação de microclimas para amenizar as temperaturas e combater as ilhas de calor. O plantio, que faz parte das comemorações da Semana do Meio Ambiente, terá início, às 9h, nas proximidades do Terminal do Joana Bezerra.

Ao todo, o canal receberá 249 árvores nativas da Mata Atlântica, sendo de pequeno, médio e grande porte. O primeiro trecho do canal, que vai da Avenida Central até a Rua Embu-Guaçú, será beneficiado com cerca de 50 exemplares de cinco diferentes espécies. São elas: Pau-Brasil, Ipê Roxo, Ipê Branco, Ubaia e Pau de Jangada. Todas as mudas foram produzidas no viveiro do Jardim Botânico e fazem parte do projeto recuperação do bioma, desenvolvido pelos pesquisadores da casa. Entre as espécies, destaca-se Pau de Jangada que está ameaça de extinção e a sua muda vem sendo gerada por meio de quebra de dormência (processo que acelera a germinação da semente).

Na Semana do Meio Ambiente, outras 400 mudas vão deixar mais verde as ruas no bairro da Encruzilhada. Metade delas será planta através de uma parceria com Celpe. Esse trabalho iniciou na última segunda-feira (06), nas ruas Inácio Galvão dos Santos e Amaro Coutinho, e beneficiarão outros 12 logradouros. O restante da vegetação também tem como foco ampliar a cobertura verde nas vias e será executado através de compensações ambientais devidas ao município por três empresas. Além do plantio, as instituições privadas ficarão responsáveis por fazer a manutenção dessas plantas por um ano, incluindo todos os tratos culturais. Em caso de morte do vegetal, será feito o replantio.

Canal do Ibiporã – Afora o primeiro trecho, o trabalho de arborização seguirá junto com o restante das obras no Canal Ibiporã, um dos mais importantes da cidade. Os serviços do canal incluem a construção de calçadas, ciclovia, rampas de acessibilidade, passarelas para pedestres, iluminação pública, além do revestimento de todo o canal e o plantio de mudas. O projeto contempla também a pavimentação de vias na localidade. Já foram entregues as obras na Rua B, Rua Itajuipe, Brasilândia, Inconfidência, Itaquaretuba. No momento, estão em andamento outras quatro vias: Rua A, Rua C, Rua G e Primeira Travessa do Campo. Com a conclusão do canal, a comunidade do Coque passará a ter acesso mais facilitado aos serviços básicos. Orçado em aproximadamente R$ 19 milhões, o Canal Ibiporã tem 712 metros de extensão e quatro metros de largura, ligando a Estação do Metrô Joana Bezerra ao mangue.

Desafio das Cidades: Recife tem metas de redução de Gases do Efeito Estufa

we love_metas_gases efeito estufa

Depois de fazer dois inventários de Gases do Efeito Estufa (GEE), a Prefeitura do Recife estabeleceu metas de redução absoluta de emissões: 14,92% até 2017 e 20,8% até 2020, referentes ao cenário de projeção com base em 2012. A capital pernambucana foi a primeira cidade do Nordeste a definir o seu compromisso frente ao aquecimento global. A medida da gestão municipal teve peso na avaliação de ambientalistas internacionais e levou o Recife a estar na final do concurso “Hora do Planeta: Desafio das Cidades”, realizado pela ONG WWF e que premia os centros urbanos comprometidos com o desenvolvimento sustentável.

A expectativa é que quase 1 milhão de toneladas de CO2 deixe de ser despejada na atmosfera. Para honrar o compromisso, a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade também elaborou um Plano de Baixo Carbono, com ações envolvendo quatro setores: mobilidade, resíduos sólidos, energia e desenvolvimento urbano sustentável. Responsável por 65% das emissões de GEE na cidade, o setor de transporte é um dos principais focos do plano. Entre as medidas previstas, está a melhoria da estrutura urbana, com a implantação de mais faixas azuis (cerca de 50km), ampliação do projeto de bicicletas compartilhadas, estruturação da malha cicloviária da cidade, entre outras.

Quanto à produção de lixo e o saneamento, o plano aponta para a implantação de sistema de queima de biogás nas estações de tratamento de esgoto e nos aterros que atendem a cidade, além do aumento da coleta seletiva e diminuição da quantidade de lixo enviada aos aterros tradicionais. No setor de energia, a prefeitura aposta na modernização do parque de iluminação pública, implantação de placas fotovoltaicas em órgãos públicos e no incentivo o uso de equipamentos sustentáveis para aquecimento de chuveiros nas residências.

Recife celebra Semana do Meio Ambiente

semana
Deste domingo (05) até a próxima sexta-feira (10), o Recife vai celebrar a Semana do Meio Ambiente, com uma série de atividades promovidas pela Prefeitura ligadas à sustentabilidade, educação ambiental e ampliação do verde nas vias públicas. A abertura das comemorações acontecerá no Jardim Botânico do Recife, a partir das 10h, com a assinatura do “Pacto pela Mata Atlântica”, uma iniciativa de caráter nacional que reúne ONGs, empresas e órgãos públicos com o objetivo de restaurar o bioma. A programação conta ainda com exposições, teatro, brincadeiras, contação de história e trilhas no Jardim Botânico e no Econúcleo da Jaqueira, além do plantio de 600 mudas.

Com a adesão ao Pacto, a capital pernambucana, que possui cerca de 6.400 hectares de Mata Atlântica, passa a contar com apoio técnico especializado na realização de projetos de restauração e ampliação do bioma. Entre as iniciativas parceiras que podem ocorrer, estão a implantação de mosaicos e corredores ecológicos, promoção do uso sustentável dos recursos naturais, instrumentos de fiscalização e controle, políticas de pagamento por serviços ambientais. “A Mata Atlântica é um dos biomas mais importantes e mais ameaçados. Para garantir sua conservação, já realizamos projetos e pesquisa nesta área, no Jardim Botânico. Nossa ideia é reforçar e ampliar os trabalhos”, disse a secretária de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife, Inamara Mélo.

A semana comemorativa também prevê diversas atividades para envolver e sensibilizar as pessoas na preservação do verde. A partir de domingo (05), uma campanha sobre arborização vai circular nas redes sociais da Secretaria de Meio Ambiente e o Centro de Convivência do Jardim Botânico passa a abrigar uma exposição com a mesma temática. Já para a garotada, tanto no Jardim quanto no Econúcleo do Parque da Jaqueira, o primeiro dia será marcado pela apresentação do espetáculo infantil “Casamento de Rosinha com seu noivo reciclado”, trilhas, jogos, contação de história e exibição de vídeos educativos.

No Econúcleo da Jaqueira, a criançada ainda poderá conferir uma exposição da fauna da Mata Atlântica. Afora os banners informativos, o projeto Trilogia Bio levará animais silvestres para mostrar aos pequenos. Em alguns casos, será possível tocar nos bichos. Para os adeptos dos jogos digitais, o espaço vai disponibilizar, na sala interativa, cinco novos games, que venceram a segunda edição do Desafio EcoRecife. Durante a semana, atividades educativas ocorrerão nas escolas municipais participantes do Programa Educar para uma Cidade Sustentável.

Ao longo do mês, será realizado o plantio das 600 árvores nas ruas da Encruzilhada e na Ilha Joana Bezerra. A primeira ação acontece na próxima segunda-feira (06), em parceria com Celpe, iniciando nas ruas Inácio Galvão dos Santos e Amaro Coutinho, na Encruzilhada. A atividade envolverá a participação de estudantes da Escola Municipal Engenheiro Edinaldo Miranda de Oliveira. Na próxima quarta-feira (08), o trabalho de arborização chega às margens do canal Ibiporã, na Ilha Joana Bezerra. A iniciativa é fruto de uma ação conjunta da Secretaria de Meio Ambiente e Urb.

Sustentabilidade – No encerramento da semana comemorativa, a Prefeitura do Recife lançará a Certificação das Construções Sustentáveis. O selo abrangerá os empreendimentos habitacionais e não habitacionais, que adotarem medidas sustentáveis para diminuir o impacto ambiental e as emissões de Gases de Efeito Estufa na cidade. No mesmo ato, será realizada a posse aos novos membros do Conselho Municipal de Meio Ambiente (COMAM) e anunciado o terceiro edital para financiamento de projetos ambientais da sociedade civil. Ao todo, serão destinados R$ 260 mil do Fundo Municipal de Meio Ambiente para iniciativa.

Confira a programação completa:

SEMANA DO MEIO AMBIENTE

DOMINGO – 05\06

Local: Jardim Botânico
10h- Abertura da Semana de Meio Ambiente:
· Assinatura do Pacto da Mata Atlântica
· Lançamento da campanha de Arborização (Exposição, campanha de redes sociais e site da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife)
· Anúncio do plantio de 600 árvores nos bairros da Encruzilhada e Joana Bezerra, através de parcerias com a Celpe, Urb e compensações ambientais.

11h – Apresentação da peça “Casamento de Rosinha com seu noivo reciclado”

11h30 – 15h30 – trilhas, jogos, contação de história e exibição de vídeos educativos.

Econúcleo Jaqueira
9h – 11h – Trilha “Conhecendo as árvores do parque”
Brincadeiras, jogos digitais e atividades Ecopedagógicas (Coletivo Vivá – UFPE)
Exposição “Jóias da Natureza” (Coletivo Vivá – UFPE)
Exposições Jardim do Baobá e Fauna do Capibaribe
Votação da campanha We Loves Cities, da WWF – World Wide Found
11h – Exibição de Animais Silvestres – Projeto Trilogia Bio
14h – Trilha “Conhecendo as árvores do parque”
15h30 – espetáculo infantil “Casamento de Rosinha com seu noivo reciclado”
16h30 – Contação de história: “A incrível história do peixe que engoliu um rio”, com Ceci Calado

SEGUNDA – 06\06
9h – início do plantio de mudas no bairro da Encruzilhada, com estudantes da Escola Municipal Engenheiro Edinaldo Miranda de Oliveira. Iniciativa em parceria com Celpe.
Local: Rua Inácio Galvão dos Santos e Rua Amaro Coutinho, na Encruzilhada.

TERÇA – 07\06
8h-10h – Oficina de Horta Domiciliar
Local: Espaço Ciência

9h – Debate sobre a revisão do Manual de Arborização
Local: auditório do Museu da Cidade, no Forte das Cinco Pontas

9h30 – Trilha temática “Conhecendo árvores nativas da Amazônia”
Local: Jardim Botânico
Inscrição: 3355.0002 (30 vagas)

QUARTA – 08\06
9h – início do plantio de mudas no canal do Ibiporã, na Ilha Joana Bezerra. Iniciativa em parceria com a Urb.

QUINTA – 09\06
9h – Plantio no Hospital Otávio de Freitas, encerrando o Curso de produção de mudas, paisagismo e plantio realizado pelo Jardim Botânico. Grupo de 30 servidores do hospital.
Local: Hospital Otávio de Freitas.

SEXTA – 10\06
9h – Posse dos novos conselheiros do COMAM
Lançamento do edital de projetos ambientais para a sociedade civil
Lançamento da Certificação das Construções Sustentáveis
Local: Econúcleo da Jaqueira

9h – Oficina de produção medicamento fitoterápico do projeto Farmácia Viva.
Local: Jardim Botânico

Desafio das Cidades: Recife tem dois inventários de Gases de Efeito Estufa

we love_gases efeito estufa

Fruto de uma parceria com o ICLEI, sigla em inglês para Governos Locais pela Sustentabilidade, a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife elaborou dois inventários de Gases do Efeito Estufa (GEE) da capital pernambucana. O estudo foi produzido de acordo com o Protocolo Global de Comunidades (GPC), metodologia pioneira criada pelo ICLEI, o C-40 (Grupo de Grandes Cidades para Liderança do Clima) e o Instituto Mundial de Recursos (WRI). A iniciativa está na lista de ações realizadas pela prefeitura e que colocou o Recife como finalista no prêmio “Hora do Planeta: Desafio das Cidades”, da Rede WWF.

O levantamento se refere aos anos de 2012 e 2013. Comparando os dois documentos, foi observada uma redução nas emissões em 2,5% devido à queda no consumo de combustível, a implantação do sistema de queima de biogás no CTR Candeias, aterro que recebe os resíduos do Recife, além do menor consumo de energia elétrica pelas residências. O inventário mais recente mostrou ainda que o setor de transporte é responsável pela emissão de 62% dos Gases de Efeito Estufa; resíduos 21%; e energia 17%. O cálculo, usado pela primeira vez na América Latina, foi feito com o “HEAT+” (software para o cálculo das emissões, desenvolvido pelo ICLEI).

Recife vai medir sua Pegada de Carbono e de Água

A forma de vida e de consumo nos centros urbanos geram um impacto à natureza. O Recife quer calcular essa pressão causada ao meio ambiente, por meio de uma parceria entre a prefeitura e o Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF). Trata-se do projeto Pegada de Carbono e de Água, que foi apresentado nesta terça-feira (31), durante a reunião do Comitê de Sustentabilidade e Mudanças Climáticas (COMCLIMA), no Forte das Cinco Pontas. A iniciativa prevê medir a quantidade de Gases de Efeito Estufa liberada para a atmosfera nos anos de 2014 e 2015, além de estudar o ciclo da água doce na cidade.

Essa será a primeira vez que a capital pernambucana vai medir sua pegada hídrica. Ela consiste num levantamento sobre o volume de água que é aproveitado da chuva, a parte contaminada e aquela que evapora e não retorna à bacia hidrográfica. “Vamos pesquisar o uso direto e indireto da água doce disponível, se a bacia tem capacidade de assimilar a poluição gerada ou não, a quantidade de esgoto tratado, entre outros indicadores. Depois de analisar os dados, saberemos se a pegada hídrica da cidade é alta ou baixa. Isto é, se o consumo é maior do que a capacidade do sistema”, explicou Valeria Reville, coordenadora de projetos da Servicios Ambientales, consultoria internacional que fará o trabalho.

Já a pegada de Carbono vai calcular a quantidade de Gases de Efeito Estufa (GEE) liberada na atmosfera. É um estudo equivalente ao inventário de GEE, cujo Recife já realizou dois sendo referentes aos anos 2012 e 2013. Através da parceria com a CAF, a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade viabilizará o terceiro estudo da cidade nesta área, sendo agora contabilizadas as emissões ocorridas em 2014 e 2015. A pesquisa levará em conta as emissões originárias dos gastos com energia elétrica, transporte e o consumo da população (resíduos). Também seguirá a mesma metodologia aplicada nos dois inventários anteriores.

Segundo a secretária de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Inamara Mélo, a expectativa é que as pegadas de Carbono e de Água forneçam indicadores para ajudar no planejamento estratégico do Governo Municipal, visando a um desenvolvimento de baixo carbono e combate aos efeitos das Mudanças Climáticas. Além disso, o projeto deve identificar ações para reduzir as emissões e com potencial de serem replicadas e massificadas junto à população. “Esse projeto é o resultado dos avanços na nossa política de baixo carbono e de ações internacionais realizadas durante a COP-21, na França. Ele vai nos ajudar nas construções de soluções para o desenvolvimento sustentável e o envolvimento popular com a temática”, afirmou.

O levantamento de dados para contabilizar as pegadas terá início em junho. O projeto deve se estender até dezembro, mas os primeiros resultados já serão expostos em outubro, na próxima edição da Conferência das Partes, que ocorrerá em Quito, no Equador.

COMCLIMA – Criado pelo prefeito Geraldo Julio, o Comclima é formado por seis secretarias municipais, instituições públicas e da sociedade civil com a missão de estabelecer políticas para enfrentar o aquecimento global. Ele é coordenado pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife e composto pelas pastas de Planejamento e Gestão; Desenvolvimento e Planejamento Urbano; Mobilidade e Controle Urbano; Infraestrutura e Serviços Urbanos; Saneamento e Habitação. O trabalho do grupo insere a capital pernambucana no centro do debate sobre as mudanças climáticas no país.

Programação da terceira edição do Jogando limpo com o mangue

 

A partir da próxima quinta 02/06 começa a terceira edição do Jogando limpo com o mangue, com oficina e debates realizados no auditório do Instituto JCPM, bairro do Pina. Serão conferidos certificados aos participantes.
Informações e inscrições: sac@riomarrecife.com.br. Fone: 3878-0001.

 

mangue03

 

Desafio das Cidades: Parque Capibaribe é um dos destaques do Recife

we love_parque capibaribe

Considerado uma das 10 iniciativas a serem seguidas na America latina, o Parque Capibaribe é projeto inovador da Prefeitura do Recife que une mobilidade e recuperação do ambiente natural. Ele configura um destaque na lista de ações apresentadas pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade à Rede WWF e que pesou na escolha do Recife como finalista do concurso Hora do Planeta: Desafio das Cidades. A disputa visa eleger o centro urbano que mais colaborou para o desenvolvimento sustentável no Brasil e no Mundo.

O projeto prevê a implantação de um novo corredor para pedestres e ciclistas às margens do Rio Capibaribe, que integrará parques, praças e equipamentos públicos, do bairro da Várzea até a Boa Vista. Ele ocupará as bordas de terra firme do rio, mas onde houver trecho obstruído, serão implantadas passagens aéreas sobre o leito do curso d’água. Ao todo, o corredor terá 30,64km de extensão. Além de promover a mobilidade, o equipamento resgatará a paisagem de um dos principais cartões postais cidade e estreitará os laços dos moradores com o rio.

Jardim do Baobá – A primeira etapa do Parque do Capibaribe já está saindo do papel, por meio de uma parceria entre a prefeitura e o Hospital Português. Está em construção o “Jardim do Baobá”, um novo espaço de lazer e contemplação às margens do rio, ocupando uma área localizada entre as ruas Madre Loyola e Antônio Celso Uchôa Cavalcanti, no bairro das Graças. A iniciativa representa um investimento de R$ 1,5 milhão.

Seminário debate definição sobre Impacto Local e novas regras de licenciamento

licenciamento ambieltal_facebook2 (1)
Uma resolução que vem sendo elaborada pelo Consema e define o que seria impacto local e as novas regras de licenciamento está no foco do debate promovido pelo “Seminário de Licenciamento Ambiental nos Municípios”. De iniciativa da Prefeitura do Recife, através da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade, e do Conselho Municipal de Meio Ambiente (COMAM), o evento acontece nesta quarta-feira (18), das 9h às 12h, e reúne representantes de órgãos ambientais diversas cidades e instituições não governamentais, na Faculdade Frassinetti do Recife (Fafire).

Aberto ao público, o evento terá como palestrantes a presidente da Agência Municipal de Meio Ambiente de Petrolina, Denise Lima; o secretário de Planejamento Urbano e Meio Ambiente de Olinda, Hélvio Polito; e o presidente da ANNAMA-PE – Associação Nacional dos Órgãos Municipais de Meio Ambiente e secretário-executivo de Controle Ambiental do Recife, Carlos Ribeiro. A ideia é que as discussões resultem em melhorias às propostas apresentadas nos últimos meses pela CPRH.

O Consema já apresentou duas propostas com a definição do impacto local e das atribuições de licenciamento ambiental para os municípios e estado, que têm sido debatidas pelos técnicos. “O documento inicial modifica a atuação do município para licenciar, por exemplo, ficaria a cargo da CPRH licenciar empreendimentos e atividades que estivessem situados em áreas estuarinas, ou simplesmente em que houvesse a necessidade de supressão de vegetação. Por isso, queremos aqui construir novas soluções para levar ao Consema, que garantam e ampliem os benefícios para os moradores das cidades”, explica Carlos Ribeiro.

De acordo com ele, essa é uma das matérias mais importantes do ponto de vista ambiental para as cidades, pois também repercute no loteamento de áreas, no licenciamento de construções imobiliárias (habitacionais ou comerciais), de indústrias, shoppings, entre outras atividades econômicas. “Quem licencia também define as compensações e onde elas vão acontecer. Quando o município licencia, as obras realizadas são compensadas dentro do seu território. Isso significa plantio de árvores e investimentos nos projetos ambientais, como a reforma do Jardim Botânico, a construção do Econúcleo da Jaqueira e da Estação Eco-Turística Cais do Imperador. Queremos garantir a continuidade disso”, finaliza Ribeiro.

Atualmente, 14 municípios de diferentes regiões do estado realizam o próprio licenciamento ambiental, contando com as estruturas física e legal, além de quadro especializado de funcionários. São eles: Bonito, Cabo, Caruaru, Gravatá, Igarassu, Ipojuca, Jaboatão, Paranatama, Paulista, Petrolina, Recife, São José da Coroa Grande, Serra Talhada, Xexéu, Salgueiro, Olinda, Agrestina, Bezerros e Lagoa Grande.

Serviço

O quê: Seminário debate definição sobre Impacto Local e novas regras de licenciamento ambiental
Quando: 18/05 / 2016, das 9h às 12h.
Local: auditório, 5º anda, da Faculdade Frassinetti do Recife (Fafire), Av. Conde da Boa Vista, 921 – Boa Vista.

Brigada Ambiental recebe treinamento

A Brigada Ambiental do Recife passa, nesta quinta (12) e na próxima segunda (16), por nova capacitação sobre as leis e infrações ambientais, no Jardim Botânico, Curado. O objetivo é que o grupo, formado por mais de 50 agentes, reforce as ações de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife (SMAS), expedindo diretamente os autos de infração para quem comete danos à natureza.

Os integrantes da brigada já participam de ações de fiscalização, mas apenas fazem Relatórios de Impacto Ambiental (RIE). Com informações sobre o local e a descrição da ocorrência, o documento hoje serve de base para que os analistas da secretaria, posteriormente, emitam as autuações.

COMAM divulga relação de instituições habilitadas para as eleições

Catorze instituições, que representam a sociedade civil, estão habilitadas para participar das eleições para o Conselho Municipal de Meio Ambiente (COMAM). A relação com os nomes das entidades já foi publicada no Diário Oficial do Município e a assembleia para realização do pleito está marcada para o próximo dia 25 de maio, na Faculdade Frassinetti do Recife (Fafire). O mandato dos novos conselheiros será para o biênio 2016-2018.

Caso as entidades discordem da decisão, elas poderão apresentar recurso até sexta-feira (13). A comissão eleitoral divulgará o resultado do julgamento no próximo dia 19. As instituições podem tirar dúvidas e solicitar informações, através do telefone 3355.5828 ou pelo email comamrecife@gmail.com.

Confira a lista das instituições habilitadas:

Entidades ambientalistas e/ou ecológicas e/ou de entidades representativas de categorias profissionais ou responsáveis pela regulamentação e fiscalização do exercício de profissões com atuação ambiental:

Associação dos Trapeiros de Emaús Recife

Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental

Associação Águas do Nordeste – ANE

Centro de Atitudes

Equipe Técnica de Assessoria, Pesquisa e Ação Social – ETAPAS

Federação de Órgãos para a Assistência Social e Educacional – FASE

Universidade Livre do Meio Ambiente do Nordeste – UNIECO

 
Segmento de entidades gerais do movimento popular:

Cidadania Feminina

Federação de Entidades Comunitárias do Ibura e Jordão – FIJ

Associação Metropolitana de Ciclistas do Grande Recife – AMECICLO

 
Segmento de universidades e instituições de ensino superior e entidades fiscalizadoras do exercício de profissões regulamentadas, com atuação reconhecida na área ambiental:

Universidade Federal de Pernambuco – UFPE

Faculdade Frassinetti do Recife – FAFIRE

 
Segmento de entidades representativas do setor empresarial:

Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Pernambuco – Ademi/PE

Federação das Indústrias de Pernambuco – FIEPE